Governo Federal distribui bolsas de estudos no exterior


No final do último mês, o Governo Federal apresentou o programa “Ciência Sem Fronteiras”, que vai oferecer 100 mil bolsas de estudo para brasileiros em universidades no exterior e também atrair pesquisadores para o nosso país. A presidente Dilma Roussef afirmou que a área de prioridade será a de ciências exatas, que envolve o segmento de tecnologia. Isso porque nosso país é um dos mais deficientes em mão de obras nesta área, em especial nas áreas de tecnologia de informação e engenharias.

Clique no LEIA MAIS >> e veja se você também pode ser beneficiado!


Os escolhidos vão para cerca de 30 universidades no exterior, as melhores do mundo. As bolsas começarão a ser distribuídas no início de 2012. A pré-seleção dos alunos que receberão bolsas do programa Ciência sem Fronteiras será realizada pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada) e ProUni (Programa Universidade para Todos).

Dilma afirmou em nota do site do MC&T: "Não estamos fazendo um programa baseado em quem indica. Estamos criando ações orientadas pelo mérito". Nesse sentido, ela informou que os beneficiados terão de apresentar nota acima de 600 no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Além disso, o programa dará prioridade os estudantes que ganharam olimpíadas, principalmente de matemática.

Entre as bolsas oferecidas pelo governo, 27,1 mil serão destinadas à graduação, 24,6 mil terão foco no doutorado sanduíche – realizado apenas em parte no exterior – e 9,79 mil irão para doutorados integrais de quatro anos. Também estão incluídas no pacote 8,9 mil bolsas para pós-doutorado, 2,6 mil para estágio sênior, 700 para treinamento de especialistas, 860 para jovens cientistas e 390 para pesquisadores visitantes.

As estimativas são de que o programa movimente entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões, sendo que 25% do valor serão oferecidos por empresas privadas e os demais 75% pelo governo federal. Para estudar fora do país, os alunos vão ganhar passagem aérea, seguro-saúde, auxílio instalação e uma bolsa mensal de US$ 870 - ou de 870 euros no caso de universidades na Europa. As taxas escolares também serão bancadas pelo Ciência Sem Fronteiras.

A seguir, veja as áreas de estudo que podem concorrer a uma bolsa de Graduação Sanduíche: Engenharia e demais áreas tecnológicas; Ciências Exatas e da Terra; Biologia; Ciências Biomédicas e da Saúde; Computação e Tecnologia da Informação; Tecnologia Aeroespacial; Fármacos; Produção Agrícola Sustentável; Petróleo, Gás e Carvão Mineral; Energias Renováveis; Tecnologia Mineral; Tecnologia Nuclear; Biotecnologia; Nanotecnologia e Novos Materiais; Tecnologia de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais; Tecnologia de Transição para a Economia Verde; Biodiversidade e Bioprospecção; Ciências do Mar; Indústria Criativa; Novas Tecnologias e Engenharia Construtiva, e Formação de Tecnólogos. 


Sobre o Autor:
Mexa o mouse de novoAleciano Júnior é um dos colunistas do blog Electronware e escreve sobre Redes e Sistemas de comunicação, Hardware e Computação no mundo atual. Gosta de ajudar os bits a trafegarem e sonha com a Computação Invisível. Música é vida.

Um comentário:

  1. Muito boa a notícia, principalmente para nossa região, onde existe "muita" mão de obra, e poucas oportunidades revolucionárias. Aleciano, você sabe alguma informação de como será realizada a seleção para estudantes de nível Superior?

    ResponderExcluir